Recebeu uma mensagem dos CTT? Tenha atenção que pode ser fraude

Se recebeu uma mensagem de SMS dos CTT, tenha cuidado, pode tratar-se de uma fraude.

Esta informação foi avançada esta segunda-feira na página oficial dos Correios de Portugal.

“Diversos clientes têm recebido mensagens eletrónicas (SMS) em nome dos CTT, num português pouco correto. Os CTT informam que estes SMS são fraudulentos e que já estão a ser efetuadas diligências juntos das entidade competentes.

Caso receba estes SMS, que representam um esquema de phishing, através do qual uma entidade desconhecida pretende obter dados privados, não descarregue anexos nem aceda a links e apague o SMS”, pode ler-se no comunicado.

Fonte: CM Portugal

Funcionária acusada de desviar 1700 euros de posto dos CTT em Famalicão

Arguida certificava os pagamentos com vinhetas que não lhes correspondiam.

O Ministério Público (MP) acusou de peculato uma funcionária da Junta de Freguesia de Nine, Famalicão, por alegadamente se apropriar de mais de 1.700 euros do posto de Correios que funciona na sede daquela autarquia.

Segundo uma nota publicada esta quarta-feira na página da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, a arguida, além de três crimes de peculato, vai ainda responder por um crime de falsificação de documentos e um crime de falsidade informática.

O MP considerou indiciado que a arguida, entre 2014 e 2016, se apropriou “por várias vezes” de diversas quantias respeitantes ao giro daquele posto de Correios, no montante global de 1.717,47 euros.

As quantias eram relativas, nomeadamente, a pagamentos vários devidos a entidades públicas e privadas.

A arguida certificaria os pagamentos com vinhetas que não lhes correspondiam e eliminaria do sistema informático os registos dos pagamentos efetuados.

Em 2012, a Junta de Freguesia de Nine, concelho de Vila Nova de Famalicão, celebrou um contrato com os CTT pelo qual o posto local dos Correios passaria a funcionar na sede daquela autarquia, com funcionários da mesma.

O objetivo foi garantir que a população pudesse continuar a usufruir do serviço, depois de os CTT terem anunciado o fecho do posto da freguesia.

Fonte: CM Jornal

Quem falhar inscrição no Via CTT já não vai pagar multa

Os deputados aprovaram, esta quarta-feira, a despenalização da não adesão à caixa postal eletrónica Via CTT. Recebeu ainda “luz verde” o reembolso dos contribuintes que já tinham pago as coimas.

A partir do próximo ano, quem falhar a inscrição no Via CTT já não vai pagar multa. No terceiro e último dia de votação na especialidade do Orçamento do Estado, os deputados aprovaram a despenalização da não adesão a esta caixa postal eletrónica. Com votos favoráveis do PS, PSD, PCP e BE, o reembolso dos contribuintes que tinham pago as coimas em causa também recebeu “luz verde”.

No início de julho, milhares de portugueses receberam notificações para o pagamento de coimas por falta de adesão à caixa postal eletrónica Via CTT, que é obrigatória desde 2012 para trabalhadores, empresas e associações que paguem IRC ou cobrem IVA.

Na altura, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais esclareceu que os contribuintes podiam pedir “dispensa” da multa, o que gerou alguma confusão nos serviços de Finanças e levou, consequentemente, a Autoridade Tributária a suspender a “tramitação de todos os processos de contraordenação instaurados”.

Ao ECO, o ministério de Mário Centeno acabou por explicar que a solução para esta questão seria encontrada no âmbito do Orçamento do Estado para 2019, o que se concretizou esta quarta-feira.

Os deputados da Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa decidiram deixar cair a aplicação de coimas (entre 50 euros e 250 euros) por falta de adesão a esta caixa postal eletrónica e deram “luz verde” ao reembolso dos contribuintes que já tinham pago as multas, sem terem pedido a tal “dispensa” aconselhada por António Mendonça Mendes.

Fonte: ECO

Parceria entre CTT e AliExpress resultou em 300 mil encomendas online

A parceria entre os CTT – Correios de Portugal e o AliExpress, do grupo Alibaba, para o Festival de Compras do AliExpress ajudou a quase duplicar o número de encomendas a partir de Portugal, anunciou a empresa portuguesa.

Durante o período de promoções do Single’s Day (de 11 a 12 de novembro), um evento muito semelhante ao “Black Friday”, foram expedidas cerca de 300 mil encomendas e/ou pacotes postais para Portugal, para as quais a parceria entre os CTT e o AliExpress “contribuíram de forma decisiva”, sublinham os CTT em comunicado.

O diretor de E-Commerce da empresa portuguesa, Alberto Pimenta, afirmou que “o volume de encomendas obtidas através desta parceria entre os CTT – Correios de Portugal e o AliExpress, do grupo AliBaba, confirma que os portugueses estão cada vez mais predispostos a comprar online e que têm confiança no e-commerce, ainda mais se estiverem envolvidas marcas que lhes inspirem confiança”.

O Festival “Double Eleven”, que acontece desde 2009, tem o seu dia forte a 11 de novembro (11.11), o chamado “Singles Day”, onde os comportamentos de compra dos chineses, agora alargada à escala mundial, são semelhantes ao “Black Friday”, com descontos muito competitivos.

O AliExpress é uma empresa do Grupo AliBaba e assume-se como o maior marketplace do mundo, contando com 100 milhões de utilizadores. Lançado em 2010, o AliExpress oferece mais de 20 categorias de produtos e introduziu novas tecnologias na experiência de compra. O ano passado mais de 231 países e regiões participaram no Festival de compras, com mais de 17 milhões de compradores por todo o mundo.

Fonte: Mundo Português

Lucro dos CTT afunda 64,8% para 6,3 milhões

O lucro dos Correios de Portugal – CTT caiu 64,8% no primeiro semestre para 6,3 milhões de euros relativamente aos primeiros seis meses de 2017, anunciou hoje a empresa, indicando que neste período saíram 238 funcionários da empresa.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, os CTT indicam que, neste período, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) diminuiu 32,2%, passando de 45,7 milhões de euros no primeiro semestre de 2017 para 31 milhões de euros entre Janeiro e Julho deste ano.

Por seu lado, os rendimentos operacionais (que incluem o correio, o expresso e encomendas, os serviços financeiros e o Banco CTT) subiram 0,9%, passando de 352,1 milhões de euros para 355,1 milhões de euros.

Entre final de 2017 e até Junho deste ano, saíram da empresa 238 funcionários no âmbito do plano de reestruturação da empresa, refere o comunicado enviado à CMVM.

Fonte: Publico

 

Opções de envio – Correio Verde

Os CTT disponibilizam serviços de correio, encomendas e envios expresso adequados às diferentes necessidades dos clientes, quer sejam de economia, informação, velocidade ou mesmo conveniência. Consulte a oferta disponível para mais detalhe do nosso leque de serviços.

Correio Verde

O Correio Verde alia conveniência e ecologia pois não é necessário selar nem pesar, é só escolher o formato mais adequado e enviar. Tudo isto com o carimbo da sustentabilidade, uma vez que todas as embalagens são produzidas com materiais reciclados, impressas com tintas amigas do ambiente e o processo de distribuição contempla a compensação carbónica.

Os suportes de Correio Verde são pré-pagos, significando que o custo do porte está incluído no preço. Um conjunto de envelopes, saquetas e caixas que poderá utilizar para o envio da sua documentação e/ou pequenos volumes. Formatos e dimensões disponíveis.

Para conferir maior segurança, complemente o envio com o Serviço Especial de Registo.

Adicionalmente pode aceder aos Serviços Especiais do Correio Registado  (Aviso de Receção, Entrega ao Próprio e Envios à Cobrança) e Serviços de Conveniência (Aviso Eletrónico).

No âmbito nacional não precisa de ser pesado, no internacional o limite de peso é de 2 kg.

As embalagens devem proteger suficientemente o seu conteúdo devendo ser utilizado apenas o sistema de fecho autocolante das respetivas embalagens.

Vantagens

  • Fácil de Comprar:
    • Pontos CTT;
    • Loja Online;
    • Hipermercados Continente;
    • Lojas Staples;
    • Supermercados Intermarché;
    • Postos Cepsa;
    • Papelaria Americana;
    • Lojas GLOOD;
    • Loja do Terminal de Cruzeiros de Lisboa;
    • Lojas Aqui é Fresco.
  • Fácil de Enviar:
    É só entregar em qualquer Loja CTT ou colocar nos Marcos de Correio Verde.

Padrão de Entrega*

Portugal Continental – 1 dia
Regiões Autónomas – até 2 dias
Europa – até 5 dias
Resto do Mundo – até 7 dias

* Prazos indicativos em dias úteis. Para as regiões autónomas o padrão pode ser alargado em função das limitações de transporte.

Fonte: CTT (Veja mais informações)

CTT investem 40 milhões de euros em modernização nos próximos 2 anos

Os CTT vão investir 40 milhões de euros na modernização da operação postal e logística nos próximos dois anos, anunciou esta quinta-feira a empresa.

Os CTT vão investir 40 milhões de euros na modernização da operação postal e logística nos próximos dois anos, anunciou esta quinta-feira a empresa.

“O Plano de Modernização e Investimento (PMI) estará em curso nos próximos dois anos e os CTT vão reforçar a automatização da separação de correio, melhorar as condições de trabalho, reforçar a qualidade e modernizar a infraestrutura da rede de distribuição”, referem os CTT em comunicado.

O presidente executivo dos CTT, Francisco de Lacerda, afirmou “o Plano de Modernização e Investimento representa um investimento ímpar que prepara os CTT para o futuro”.

E prosseguiu: “Estamos a modernizar uma infraestrutura que foi desenhada há 30 anos, para responder às novas exigências do setor postal, continuar a potenciar a qualidade e melhorar as condições de trabalho, reforçando o importante papel dos nossos carteiros como elo de ligação às comunidades locais”.

De acordo com o gestor, “a nova vaga de mecanização, a nova organização da rede e o uso de ferramentas avançadas vai permitir melhorar a eficiência e eficácia da rede postal”. Mais especificamente, o investimento vai ser aplicado em novas máquinas de separação de correio, na modernização da rede, na melhoria das condições dos centros de distribuição e dos equipamentos de trabalho para adequar a rede a um novo perfil de tráfego, procurando, assim, responder à queda do volume de correio e ao crescimento da área de Expresso & Encomendas justificados pela alteração do comportamento dos consumidores e pela digitalização da economia e da sociedade.

Os CTT — Correios de Portugal são o operador postal universal em Portugal, sendo “um dos principais player em correio e em distribuição de expresso e encomendas”, desenvolvem também atividades de serviços financeiros e operam igualmente no negócio da distribuição expresso e encomendas em Espanha e em Moçambique.

A empresa empregava 12.163 pessoas em 2017, das quais 11.715 em Portugal, país onde opera com uma rede de 2.369 pontos de acesso a que se juntam 4394 agentes Payshop.

Em 2017, os CTT alcançaram rendimentos operacionais de 697,9 milhões de euros, um EBITDA recorrente (lucros antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) de 89,9 milhões de euros e um lucro de 27,3 milhões de euros.

Fonte: Observador (Leia o artigo completo)

 

 

Correios de Portugal e do Brasil querem facilitar e-commerce

O novo acordo entre os CTT e os ECT deverá permitir a redução do tempo média de entrega de encomendas registadas entre os dois países..

Os correios de Portugal (CTT) e do Brasil (ECT) firmaram um novo acordo que poderá contribuir para incrementar o comércio electrónicos dos dois países. A parceria visa aumentar a competitividade dos produtos de correio expresso que suportam parte das trocas comerciais entre os países.

Segundo os prestadores de serviços, até agora, as encomendas registadas em circulação entre o Brasil e Portugal precisavam de, em média, 40 dias úteis para ser entregues após a desalfandegamento dos objectos. Com o novo acordo, a previsão é que esse prazo caia para uma média de 12 dias úteis, avançam os correios do Brasil.

Uma das mudanças previstas com o acordo assinado a 27 de Outubro, é a melhoria na qualidade de informação nos fluxos postais, permitindo um rastreamento mais completo que facilita a previsão de entrega das encomendas postadas principalmente para quem efectua compras e vendas pela Internet, explicam os ECT.

Na prática, o acordo prevê a migração do tratamento das encomendas de correio electrónico que, na maior parte das vezes chega ao Brasil através de correio registado e simples para uma plataforma mais qualificada, em conformidade com as condições de recepção brasileiras “Novo Modelo de Importação”, que abrange o envio de informações electrónicas, explicam os correios do Brasil, citados pela IDGNow.

“O comércio electrónico é (…) um dos eixos estratégicos de desenvolvimento dos CTT e acreditamos que estes acordos agora assinados com o Brasil são uma das chaves para o desenvolvimento das trocas neste corredor atlântico, aproveitando a crescente digitalização da economia e a ligação tradicionalmente relevante entre as comunidades de nacionais de ambos os países”, disse, recentemente, Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT.

As duas empresas (CTT e ECT) têm vindo a firmar acordos para facilitar este tipo de transacção. Recentemente anunciaram a redução conjunta das “condições de remuneração que praticam entre si, viabilizando desse modo o lançamento de ofertas de correio expresso premium mais competitivas, para clientes de comércio electrónico que vendem entre os dois países”, explicam os CTT em comunicado.

A um nível logístico, “os acordos introduzem níveis de informação de melhor qualidade nos fluxos de tráfego entre os dois países, o que permite reforçar a prestação de informação de rastreamento e previsão de entrega quer a clientes, quer a destinatários”.

Fonte: Computerworld (Leia o artigo completo)

Opções de Envio – Correio Normal

Os CTT disponibilizam serviços de correio, encomendas e envios expresso adequados às diferentes necessidades dos clientes, quer sejam de economia, informação, velocidade ou mesmo conveniência. Consulte a oferta disponível para mais detalhe do nosso leque de serviços.

Correio Normal

O Correio Normal é um serviço económico de envio de correspondência com peso máximo de 2kg.

Vantagens

Disponível em todo o território nacional;
Condições especiais para correio em quantidade (mediante contrato).

Padrão de Entrega*

Portugal Continental – até 3 dias
Regiões Autónomas – até 3 dias
Europa – até 5 dias
Resto do Mundo – até 7 dias
Económico* – até 20 dias

*Prazos indicativos em dias úteis. O padrão de entrega Económico está disponível apenas para os destinos S. Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.

Envios Internacionais

A identificação de objetos para envio internacional deve possuir a inscrição «avião/priority» junto da indicação de franquia ou, em alternativa, poderá ser utilizada a etiqueta autocolante própria para o efeito. Para enviar bens para outros países, quer sejam de natureza comercial ou não, consulte  as regras adicionais para envios de pacotes internacionais. Caso produza o seu próprio correio, consulte o manual de normas de representação gráfica e o manual de endereçamento.

Fonte: CTT (Leia o artigo completo)

Sonae e CTT colocam cinco milhões de produtos online para revolucionar o shopping

As duas empresas vão juntar milhões de produtos no comércio digital. Projeto arranca até ao final do ano.

A Dott, a empresa que nasce da parceria da Sonae com os CTT para criar uma plataforma de comércio eletrónico, vai arrancar com um milhão de referências e vai alargar a oferta até aos cinco milhões de produtos nos próximos dois anos. A ambição “é ser o maior shopping online de Portugal”, diz Gaspar d’Orey, presidente executivo do novo projeto, com arranque marcado para o final do ano.

Quando os CTT lançaram o desafio e a Sonae agarrou a ideia, em 2017, os trabalhos de casa começaram de imediato, e após a aprovação do negócio pela Autoridade da Concorrência as coisas aceleraram com uma equipa de 20 pessoas, dividida entre o Porto e Lisboa, a afinar a nova plataforma, pronta para aproveitar a tecnologia digital para criar novas relações comerciais de proximidade.

“Na loja de rua, no comércio tradicional, o cliente era tratado pelo nome e o vendedor conhecia as suas preferências. A Dott vai funcionar da mesma forma porque o e-commerce não tem de ser um ato isolado, aborrecido, e permite uma ultrapersonalização”, diz Gaspar d’Orey que destaca “a emoção da compra” como um dos quatro pilares estratégicos do projeto, a par da proximidade, da conveniência e da segurança dos dados envolvidos na transação.

Para a aproximação ao cliente, a Dott conta com a sua equipa de conteúdos e com as armas do marketing digital. De forma a garantir a conveniência de serviço, admite entregas em casa das pessoas, em função do horário, mas também noutros pontos de fácil acesso, como os balcões dos CTT, cacifos codificados na Gare do Oriente, hipermercados ou estações da Galp, num total de mais de 1500 pontos distribuídos pelo território nacional, prontos a receber, também, as devoluções.

Apostando num serviço de portugueses para portugueses, a empresa não exclui entregas fora do território nacional.

“Vemos muito potencial nos mercados da saudade, o que significa trabalhar com portugueses que estão noutros países”, refere o presidente executivo.

A oferta inicial junta 200 empresas e 17 categorias, da moda e calçado aos brinquedos, eletrónica, acessórios automóvel, segmento gourmet e casa/jardim. Em dois anos, a base deverá ser alargada até às cinco mil empresas do lado dos fornecedores. A abertura a marcas estrangeiras é total, tal como a flexibilidade para juntar na mesma plataforma lojas de rua e sites internacionais, mas um dos objetivos da Dott é trabalhar com pequenas e médias empresas lusas que ainda estão afastadas do digital. “As empresas portuguesas têm uma percentagem muito reduzida de vendas online, abaixo dos 3%, quando no Reino Unido ou na Alemanha passam os 15%”, sublinha o gestor de 35 anos, já com experiência em grupos como a Mota-Engil e a Sonae antes de liderar este projeto.

As entregas em Portugal continental e na ilhas são feitas para 95% dos produtos num prazo máximo de 48 horas e tudo o que tem a ver com a experiência de compra será tratado pela Dott, já com espaços em Lisboa e no Porto para montar dois armazéns. Na prática, a empresa funciona como um intermediário entre as marcas/lojas e o cliente final, recebendo comissões em função das vendas e investindo em marketing digital para alavancar o crescimento.

O preço a pagar pelo consumidor será definido em função das modalidades de entrega, variando mais em função do prazo de entrega do que dos locais escolhidos.
A Dott diz que a concorrência de gigantes internacionais das vendas online como a Amazon, não a assusta. Assume a sua juventude e flexibilidade como mais-valia e acredita ter na proximidade aos clientes nacionais um trunfo. Depois, junta as experiências dos CTT, líder na distribuição/entregas, e da Sonae, líder no segmento do retalho em Portugal, já com vendas superiores a €100 milhões no online.

Fonte: Expresso (Leia o artigo completo)